ver novamente

Bocas del Toro: onde o Caribe é mais autêntico

Arquipélago no Panamá mantém o charme dos pequenos vilarejos caribenhos com praias isoladas de cor verde-esmeralda

Camila Sayuri, iG São Paulo |

No passeio de barco, a parada para o almoço é no restaurante sob a água em Crawl Cay

No passeio de barco, a parada para o almoço é no restaurante sob a água em Crawl Cay

Antes de tudo, um aviso. A chegada ao arquipélago de Bocas del Toro, na costa caribenha doPanamá, pode não ser, digamos, calorosa. Chove bastante, e durante o ano todo, na província, localizada a 32 km da fronteira da Costa Rica. Com isso, as chances de ser recepcionado por um tremendo aguaceiro são grandes. Mas não desanime, o sol sempre dá um jeitinho de aparecer. E, quando o céu abrir, você verá que a propaganda é verdadeira: há um paraíso tropical escondido aqui.

As ilhas de Cayos Zapatilha tem praias isoladas e são cobertas por uma densa vegetação - Foto: Camila Sayuri

As ilhas de Cayos Zapatilha tem praias isoladas e são cobertas por uma densa vegetação – Foto: Camila Sayuri

Especial do Panamá
Jogue-se nas compras no Panamá
O melhor da Cidade do Panamá

A 45 minutos de avião da Cidade do Panamá, Bocas del Toro é um arquipélago de nove ilhas principais e mais de 200 ilhotas desabitadas. A região cresceu em torno do cultivo da banana pela empresa americana United Fruit Company (hoje, a multinacional Chiquita Brands), no início do século 20. Por isso, boa parte da população descende de imigrantes jamaicanos, que vieram para cá para trabalhar nas plantações.

Mais de um século depois, outros estrangeiros juntaram-se à população local. Vieram de férias, mas acabaram ficando e ficando. Largaram tudo e construíram sua casa aqui. Não é difícil entender o porquê. Apesar de Bocas del Toro ser um dos principais destinos do Panamá, rota de mochileiros e surfistas há alguns anos, mantém a atmosfera tranquila e o charme característico das pequenas vilas caribenhas.

Até mesmo na capital, a cidade de Bocas del Toro ou Bocas Town, na Isla Cólon, vê-se que os coloridos casarões de madeira, erguidos pela United Fruit Company para os seus trabalhadores, não foram substituídos por casas modernas. Diferente de outros populares destinos caribenhos, não há resorts nem grandes redes de hotés nas ilhas. A grande maioria das acomodações ainda são pousadas e albergues, com um ou outro estabelecimento mais sofisticado, como é o caso do Playa Tortuga, hotel com 117 quartos (diárias a partir de US$ 200)

Restaurantes e pousadas com varandas com para o mar em Bocas Town, na Isla Colón - Foto: Getty Images

Restaurantes e pousadas com varandas com para o mar em Bocas Town, na Isla Colón – Foto: Getty Images

É um Caribe diferente, mas onde não faltam belezas naturais, vale ressaltar. As praias de cartão-postal com areia branquinha, água verde-esmeralda transparente e palmeiras enfileiradas não decepcionam os visitantes. Em muitas delas, você poderá aproveitar tranquilamente, sem dividir espaço com a multidão. Há ainda mangues de água transparente e recifes de corais coloridos e cheios de vida.

O que fazer

Nas ilhas Cayo Zapatilhas, há praias isoladas para quem quer curtir sozinho - Foto: Camila Sayuri

Nas ilhas Cayo Zapatilhas, há praias isoladas para quem quer curtir sozinho – Foto: Camila Sayuri

Conhecer outras ilhas e praias remotas do arquipélago de barco é o programa Nº 1 no arquipélago de Bocas del Touro. Da Isla Colón ou da Isla Carenero, onde a maioria dos visitantes fica hospedada, é fácil explorar outros locais. Um dos tours mais populares, de aproximadamente sete ou oito horas, leva a Cayos Zapatilha, duas pequenas ilhas desabitadas com praias que poderiam ser locação de cinema (a entrada custa US$ 10). No caminho, há uma parada para ver os golfinhos em Dolphin Bay. O almoço é em um dos restaurantes em estilo bangalô de Crawl Cay, cartão-postal da região. Com recifes de corais e peixes coloridos, o local é também um bom ponto de snorquel. Os tours custam entre US$ 25 e US$ 30.

Outro passeio popular leva a Isla Bastimentos, região de belas praias com alguns dos melhores pontos de mergulho e surfe da região. Protegida em grande parte por um parque nacional marinho, a ilha abriga ainda um pretencioso complexo hoteleiro, o Red Frog Beach Rainforest Resort & Marina, que ainda não foi finalizado. O empreendimento terá um resort, a ser inaugurado, mas já conta com villas de 1 a 4 dormitórios para alugar e um albergue. Para os aventureiros, um dos principais atrativos do estabelecimento é um circuito de canopy, uma versão radical do arvorismo, aberto a não-hóspedes (o percurso custa US$ 55).

Red Frog Beach é também o nome da praia mais famosa da Isla Bastimentos, a única que conta com barzinho e onde são oferecidas aulas de surf. O apelido peculiar (Praia do Sapo Vermelho, em português) deve-se aos sapinhos, com menos de cinco centímetro, que podem ser encontrados por lá. Da Red Frog Beach, pode-se pegar uma trilha até a belíssima Wizard Beach, a preferida dos surfistas.


Vida noturna

Depois de passar o dia mergulhando, surfando ou caminhando, arranje forças para curtir a animada noite de Bocas del Toro. Os bares são pouco sofisticados e frequentados por viajantes do mundo todo. Todos fecham às duas da manhã. O Barco Hundido (Calle 1) é um bar ao ar livre animado, bom para quem gosta de dançar. Outro ponto bastante popular é o Mondo Taitú Bar (Av 1), que realiza eventos temáticos todas as noites.

Como chegar

Da Cidade do Panamá, a maneira mais fácil de chegar ao arquipélago de Bocas del Toro é de avião. São 45 minutos de viagens por via aérea. A AirPanama e a Aeroperlas têm dois voos diários com tarifas a partir de US$ 80 o trecho.

 

Escolha seu próximo destino

Notícias Relacionadas


iG Viagens no Facebook

Comentários (0)

Antes de escrever seu comentário, lembre-se:o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *