ver novamente

Dez lugares para visitar no Brasil antes de morrer

Baseados no livro “1.000 Lugares para Conhecer Antes de Morrer”, listamos dez destinos imperdíveis no Brasil

Eduardo Vessoni, especial para o iG São Paulo |

A morte é a única certeza que temos sobre os segredos da vida, por isso livros como o best-seller “1.000 Lugares para Conhecer Antes de Morrer”, editado em 18 idiomas, fazem tanto sucesso entre viajantes e curiosos.

São tantos destinos e curiosidades mundo afora que, certamente, a longa lista de sugestões de Patricia Schultz, autora da obra, será apenas uma prazerosa leitura de descrições de lugares interessantes. Por isso, o iG Turismo selecionou dez destinos nacionais sugeridos na versão brasileira do livro. Leia abaixo.

1. Mercado Ver-o-Peso

Mesmo com a modernização que tomou conta de alguns pontos turísticos de Belém, capital do Pará e porta de entrada de viagens pelo Amazonas, o maior destaque da cidade ainda é o tradicional mercado ao ar livre, cujas barracas oferecem de tudo, sem exageros: doces, temperos, ervas medicinais, plantas, raízes aromáticas, essências, frutas e comidas típicas. É uma visita para todos os sentidos.

Junior Oliveira/Flickr – Ver-o-Peso contra o céu de Belém: o mercado domina a paisagem da capital

2. Deserto do Jalapão

Essa talvez seja uma das viagens mais aventureiras e selvagens pelo Brasil. O “desconhecido” estado do Tocantins tem paisagens que reúnem, em um mesmo lugar, cerrado, savana e deserto (veja fotos na galeria ao final da página), e é para lá que vão os viajantes mais radicais. A região é conhecida pelas expedições que saem de Palmas em direção a Ponte Alta de Tocantins e exploram rios, cachoeiras e dunas. O corpo reclama, mas a alma agradece.

3. Parque Nacional da Serra da Capivara

Esse impressionante parque arqueológico localizado no Piauí é considerado um dos mais importantes patrimônios culturais pré-históricos do planeta. A concentração de pinturas e gravuras rupestres de 100 mil anos, a variedade de paisagens e os pontos de observação privilegiados são os destaques desse distante destino pouco explorado pelo turismo. Milhares de anos de informações históricas que ainda podem ser conhecidas.

4. Recife e Olinda Essas duas cidades pernambucanas são tão diferentes que nem parecem que estão a menos de 10 quilômetros de distância. A primeira é frenética, tem visíveis influências holandesas e é recortada por pontes sobre o Rio Capiberibe. Olinda segue o caminho contrário e convida os visitantes a caminharem por suas ruas de casario colorido de estilo português. Uma viagem no tempo percorrida em poucos quilômetros.

Crystian Cruz/Flickr – Fachada da Igreja de Nossa Senhora da Misericórdia, em Olinda, Pernambuco

5. Campina Grande

Nem a paisagem exótica do sítio arqueológico do Ingá e as formações rochosas do Parque das Pedras, atrações próximas à Campina Grande, são suficientes para desviar a atenção do maior evento da cidade: a festa de São João. Durante todo o mês de junho, as festas juninas impressionam pelos números. O Parque do Povo, uma área de 42 mil metros quadrados concentra 300 barracas com bares e restaurantes que atendem os milhares de visitantes que buscam diversão ao redor de uma fogueira gigante ao som de forró. Impossível ficar parado – mesmo quem torce o nariz para o típico estilo musical.

6. Pelourinho

No passado, o pelourinho resumia-se a uma coluna de pedra utilizada para castigar escravos. Mas, hoje, quem circula pelas ladeiras do bairro histórico de Salvador encontra uma animação impressionante. O bairro, que passou por um forte processo de revitalização, abriga casarões históricos, igrejas em estilo barroco e uma intensa vida cultural. Impressiona ver a harmonia do passado e do presente nas ruas do “Pelô”.

7. Itacaré

Há tempos que o sul do litoral baiano é o destino quente dos turistas mais animados. E não estamos falando das altas temperaturas da Bahia. Itacaré, um vilarejo que abrigou um importante porto durante o Ciclo do Cacau, foi descoberto pelos surfistas e, anos mais tarde, foi invadido por visitantes atraídos pelos golpes de capoeira, o forró que embala as festas e as praias paradisíacas. O visual merece mesmo ser visitado antes de partir para o outro mundo.

Gabriel Carvalho/Setur – Itacaré, no sul da Bahia: vilarejo abrigou um importante porto durante o Ciclo do Cacau

8. Chapada dos Guimarães

A paisagem das três chapadas brasileiras mais famosas proporcionam sensações que, por si só, já valeriam para passar os últimos dias na Terra. Mas é a dos Guimarães, no Mato Grosso, que o livro “1.000 Lugares Para Conhecer Antes de Morrer” recomenda. A região, localizada no centro da América do Sul, está vinculada ao ecoturismo e é ali que os mais aventureiros praticam rapel e trekking em meio ao Cerrado. O destino também é procurado para peregrinação mística de visitantes curiosos que querem saber de perto o início de histórias fabulosas sobre aparições de OVNIs e duendes.

9. Pantanal

O Pantanal não sai mesmo do imaginário brasileiro, mesmo que, de tempos em tempos, volte em forma de reprise de novela. A variedade natural da região, considerada a maior extensão de terras inundáveis do planeta, é tão complexa que conta com uma flora de três lugares diferentes: amazônica, cerrado e chaco. Talvez seja por isso que as terras alagadas do Pantanal sirvam de moradia para 650 espécies de animais, enquanto as fazendas e hotéis ecológicos são os principais refúgios dos turistas aventureiros.

10. São Miguel das Missões

Hoje, são apenas ruínas, mas o título de Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade continua firme desde 1983. O turista encontra em São Miguel das Missões, no Rio Grande do Sul, o que sobrou das construções históricas que, no século 16, serviram para abrigar padres jesuítas durante a catequização de milhares de índios guaranis. O espetáculo do pôr-do-sol sobre as fachadas das construções e o show que conta a história das missões são os dois principais atrativos.

 

 

 

Escolha seu próximo destino

Notícias Relacionadas


iG Viagens no Facebook

Comentários (0)

Antes de escrever seu comentário, lembre-se:o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *