ver novamente

Divirta-se de graça em Buenos Aires

Confira sete atrações para desfrutar do melhor da capital argentina sem gastar nada

Alessandra Oggioni, especial para o iG |

Comer uma boa parilla, fazer compras na Calle Florida, caminhar pelas ruas de Caminito, tirar fotos em frente ao Obelisco e desfrutar de uma agitada noite de tango são programas comuns no roteiro dos mais de 800 mil turistas brasileiros que vão anualmente para Buenos Aires – segundo dados da Secretaria de Turismo local. Mas para quem está com orçamento limitado e, ainda assim, não abre mão de se divertir na capital argentina, há opções para curtir o destino sem gastar nada.

Foto: Getty ImagesPlaza de Mayo e Casa Rosada: pontos obrigatórios no roteiro da capital argentina

 

iG Turismo garimpou sete atrações gratuitas para se divertir em Buenos Aires sem por a mão no bolso. Confira e aproveite.

1. City Tour 

Foto: Getty ImagesCongresso Nacional Argentino é um dos prédios visitados no city tour

 

É claro que não dá para ir a Buenos Aires e deixar de conhecer o Obelisco, a Casa Rosada, a Plaza de Mayo e tantos outros pontos históricos importantes na capital argentina. Para otimizar tempo e, de quebra, conhecer mais a fundo a história de cada um deles, o BA Free Tour oferece city tours gratuitos, de segunda a sábado.

São dois roteiros diferentes. O primeiro fica mais na parte central e se concentra em pontos históricos e grandes avenidas. Em duas horas e meia de passeio, os guias acompanham os turistas pela Calle Florida, Avenida 9 de Julio, Plaza de Mayo, Casa Rosada, Catedral e Teatro Colón. O grupo se reúne às 11 horas, na Plaza del Congreso (Avenida Rivadavia com a rua Rodriguez Peña).

Também com duração de duas horas, o chamado roteiro aristocrático mostra a forte influência europeia na cidade. O percurso passa por ruas movimentadas e bairros famosos, como a Recoleta e o Retiro. Neste tour, os guias se encontram atrás do monumento da Plaza San Martin, às 17h (Avenida Santa Fe com rua Maipu).

2. Visitinha a Cristina Kirchner

Foto: Alessandra OggioniGabinete da presidente argentina, Cristina Kirchner, pode ser visitado na Casa Rosada

 

Para quem gosta de história e é ligado em política, vai adorar a visita guiada por dentro da Casa Rosada, sede do Poder Executivo da Argentina. Durante o tour, os turistas conhecem o salão dos presidentes, as salas de reuniões, os belos pátios internos e até mesmo o gabinete de onde a presidente Cristina Kirchner despacha diariamente.

O tour em espanhol acontece aos sábados, domingos e feriados, entre 10h e 18h, e tem duração de 20 minutos. Os grupos saem acompanhados por guias a cada meia hora.

3. Nos passos de Borges


Foto: Getty Images
Entrada da antiga sede do jornal La Prensa, para o qual colaborou o escritor Jorge Luis Borges

 

Que tal conhecer detalhes dos lugares que inspiraram obras de famosos escritores argentinos, como Jorge Luis Borges, José Hernández e Julio Cortázar? Pois com as visitas guiadas e teatralizadas promovidas pelo departamento de Turismo do país isso é totalmente possível.

Veja onde e em quais circunstâncias Hernández escreveu Martín Fierro, descubra curiosidades das obras de Cortázar e visite o antigo jornal La Prensa, atual sede do Ministério da Cultura, para conhecer a primeira colaboração jornalística do jovem Jorge Luis Borges.

O tour gratuito acontece sempre no primeiro sábado de cada mês (até outubro de 2012), às 15h30. O ponto de encontro é na Plaza de Mayo (Av. Rivadavia, 317). O programa é suspenso em caso de chuva.

4. Tango no Caminito

Foto: Getty ImagesCasal faz apresentação de tango nas ruas de Caminito

 

Se estiver sem grana para pagar um bom espetáculo de tango, não precisa ficar chateado. Aproveite para assistir a uma apresentação gratuita pelas ruas do Caminito, no bairro La Boca.

Com frequência, o típico cenário de casebres coloridos feitos em chapa de aço e zinco é palco de shows de artistas de rua ou nos bares e restaurantes locais, que dançam com classe músicas de Gardel e companhia.

5. Tarde com Gardel

Foto: Getty ImagesUma das peças do Museo Casa Carlos Gardel

 

Buenos Aires é quase um sinônimo de tango. O ritmo alcançou fama internacional a partir de 1920 e teve como um de seus principais ícones Carlos Gardel. A casa em que o cantor viveu com a mãe de 1927 a 1933, no bairro de Balvanera, foi convertida em museu em 2003 e guarda documentos e objetos do astro.

Além de conhecer todo o universo do tango e as relíquias deste ícone da música argentina, o Museo Casa Carlos Gardel presenteia o público com um ciclo de concertos chamado “Mis tardes con Gardel”. O evento acontece todas as segundas-feiras, às 18h30, e relembra grandes sucessos do ídolo argentino, como “El Día que Me Queiras”.

Embora não seja totalmente gratuito – o ticket custa 1 peso – às quartas-feiras, o Museo Casa Carlos Gardel tem entrada franca. Localizado à rua Jean Jaurés, 735, funciona de segunda, quarta, quinta e sexta, das 11h às 18h, e aos sábados, domingos e feriados, das 10h às 19h.

6. Tudo sobre plantas

Foto: Secretaria de Turismo de Buenos AiresJardín Botánico Carlos Thays tem mais de cinco mil espécies de plantas da Ásia, Europa e América do Sul

 

Quem gosta de plantas vai apreciar um passeio pelo Jardín Botánico Carlos Thays, com mais de cinco mil espécies provenientes da Ásia, Europa e América do Sul. Inaugurado no final do século 19, o local oferece também muitos cursos – alguns deles gratuitos – e exposições temporárias.

Além disso, visitas guiadas levam os visitantes para conhecer mais a fundo a história do jardim francês, bem como suas ricas coleções de plantas, como bromélias e samambaias, e mais de 30 esculturas e estátuas. Os tours acontecem sempre aos sábados, domingos e feriados, às 10h30 e às 15h.

Localizado na Avenida Santa Fe, 3951, o espaço fica aberto ao público de segunda à sexta, das 8 às 18h, aos sábados e domingos, das 9h30 às 18h (no verão, até às 19h) e nos feriados, das 11h às 18h.

7. Foco na arte


Foto: Alessandra Oggioni
Museo Nacional de Bellas Artes, inaugurado em 1896, tem entrada gratuita

 

Os amantes da arte também não podem deixar de dar uma passada no Museo Nacional de Bellas Artes, um dos mais importantes do país. Inaugurado em 1896, o espaço abriga obras de Monet, Van Gogh, Degas, Picasso, Rodin e, também, peças de artistas argentinos, como Ernesto de la Cárcova, Martín Malharro, Alfredo Guttero, entre tantos outros.

Além do acervo, o local conta também com uma extensa biblioteca especializada em arte, com mais 150 mil itens, e exposições temporárias. O museu tem entrada gratuita (Av. del Libertador, 1473, Recoleta) e funciona de terça à sexta, das 12h30 às 20h30, e aos sábados e domingos, das 9h30 às 20h30.

Escolha seu próximo destino

Notícias Relacionadas


iG Viagens no Facebook

Comentários (0)

Antes de escrever seu comentário, lembre-se:o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *