ver novamente

O melhor de Praga em um dia

Um roteiro do melhor da capital da República Tcheca para que tem pouco tempo para descobrir a cidade

Carol Gregnanin , de Praga |

Já ouviu alguém que viajou para Praga dizer que não gostou da cidade ou que não vale a pena conhecê-la? Não há como não se apaixonar pela capital da República Checa. Ela pode até não fazer parte do roteiro inicial de quem viaja pela Europa, mas se está tão perto, por que não fazer uma visita? Em apenas um dia dá para conhecer os principais pontos turísticos e ter uma ideia da enorme bagagem histórica existente nessa cidade de pouco mais de 1,2 milhão de habitantes.

Fundada no século 9, Praga era dividida em quatro bairros, Castelo de Praga, bairro Pequeno, bairro Velho e bairro Novo. Isolados uns dos outros por muralhas, eles possuíam governos próprios. Em 1784, os bloqueios foram derrubados e os quatro bairros se juntaram, formando a parte histórica da cidade, considerada pela Unesco Patrimônio Cultural e Natural Mundial em 1992.

 

A seguir, dicas, curiosidades e um roteiro compacto para conhecer o mais importante da cidade. Certamente você não vai se arrepender e começará até a planejar um retorno com mais calma.

Mais: Pela Europa de Trem ou de avião?

PONTOS HISTÓRICOS

Loreto – Comece o passeio no bairro Castelo de Praga visitando o maior palácio barroco da cidade, o Santurário de Loreto. Lá existe a cópia da modesta casa em que supostamente viveu a Virgem Maria. O local recebe doações à santa e entre elas estão 6.222 diamantes, o chamado Tesouro de Loreto.

Castelo de Praga – Depois de visitar o Loreto, caminhe pelas ruas que levam ao castelo. São cerca de 300 metros, mas as vielas de paralelepípedos com construções antigas engrandecem a vista. O Castelo está no Guinness Book como o maior do mundo e é a sede do presidente da República desde 1918. Atenção especial às regras do castelo. É proibido andar de bicicleta, carregar bandeiras ou gritar. Há câmeras de vigilância em todo o pátio 24 horas por dia.

No terreno do castelo está a Catedral de São Vito, construída no imponente estilo gótico durante 600 anos. É possível visitar o interior da igreja, mas se está com o tempo curto, melhor ver apenas a área comum da catedral. A visita completa não leva menos do que 40 minutos.

Rua do Ouro – As pequenas casas construídas a partir do muro que cerca o Castelo de Praga formam uma das mais famosas vielas da cidade. O nome faz alusão aos alquimistas que supostamente buscavam ali a fórmula do ouro. É lá também que está a casa 22, onde viveu o escritor Franz Kafka. A rua é fechada e para visitar é necessário pagar.

O Palácio do Senado possui um dos jardins mais bonitos de Praga - Foto: Carol Gregnanin

O Palácio do Senado possui um dos jardins mais bonitos de Praga – Foto: Carol Gregnanin

Palácio do Senado – Ao sair do castelo, desça pela ladeira rodeada de vinhedos e admire a vista. Lá embaixo, entre gratuitamente nos jardins do Palácio de Valdstejnska, a sede do Senado atual. Os jardins são magníficos, com pavões de verdade circulando. Ao final de tanto verde vivo, não deixe de ver o contraponto no final, uma parede negra com figuras sombrias que simboliza a morte.

Igreja do Menino Jesus de Praga – Para fiéis e admiradores da arte sacra, a igreja é parada obrigatória. A estátua de 47 centímetros do menino Jesus feita em cera com o interior de madeira é venerada pelos fiéis que visitam o lugar. Famoso por realizar milagres, o menino Jesus de Praga recebe doações de vestimenta de governos do mundo todo.

Ponte de Carlos – Chegamos ao bairro Pequeno, onde as ruas são mais estreitas e curtas. No caminho para a Ponte de Carlos, passe pela parede em homenagem a John Lennon, um símbolo do desejo de liberdade e paz que o país sentia durante o comunismo. Ao cruzar o canal que leva à ponte, observe os cadeados deixados ali por casais apaixonados. Eles simbolizam a vontade de que a relação dure para sempre. Chegando à ponte, a mais famosa da capital, perca um tempinho tirando fotos, olhando os artesanatos e até comprando alguma lembrança. Atravesse-a devagar para admirar o rio a cada passo e tocar na estátua de São João Nepomuceno. Diz a lenda que quem faz isso volta a visitar Praga.

Leia também: Londres bairro a bairro

Praça do bairro Velho – Ao final da ponte já se encontra o bairro Velho, com a principal praça de Praga. Lá está a igreja Týnský, onde é possível visitar a torre e ter uma das mais bonitas vistas da cidade. Há também a Torre do Relógio Astronômico, fundada em 1338. O relógio é um espetáculo à parte e serve, o dia todo, de cenário de fotos para casais que estão se casando. A praça ainda possui serviços guiados de aluguel de carruagem e carros antigos para se fazer um passeio pelo bairro. Aqui também dá para sentar em algum dos bares ou restaurantes que dispõem mesas na rua, tomar um café ou um drink e admirar as belíssimas construções.

A Ponte de Carlos é um dos cartões postais da cidade. Ela liga o bairro Pequeno ao bairro Velho - Foto: Getty Images

A Ponte de Carlos é um dos cartões postais da cidade. Ela liga o bairro Pequeno ao bairro Velho – Foto: Getty Images

Casa Municipal – A menos de 200 metros da praça do bairro Velho está a Casa Municipal, que abriga a Smetana Concert Hall. Aproveite para admirar a decoração tomando um café no espaço principal e, se puder, compre um ingresso para assistir à performance da noite.

NÃO PERCA

- A troca de guarda oficial do Castelo de Praga. Ao meio-dia, soldados do Exército tocam “O Moldava”, trecho da sinfonia “Minha Pátria”, do compositor checo Bedrich Smetana, e trocam os postos. A melhor vista da troca é a de fora do castelo, mas também dá para admirar a marcha se estiver no pátio interno.

- O espetáculo do Relógio Astronômico realizado de hora em hora entre 9h e 21h. Nas horas redondas, estátuas dos 12 apóstolos “desfilam” sobre o relógio enquanto outras quatro estátuas simbolizando a vaidade, a avareza, a morte e a invasão pagã (maiores preocupações da população no século 19) também balançam suas cabeças.

O relógio astronômico é um espetáculo à parte e tem show de hora em hora, das 9h às 21h - Foto: Getty Images

O relógio astronômico é um espetáculo à parte e tem show de hora em hora, das 9h às 21h – Foto: Getty Images

- O pôr do sol às margens do rio Moldava. Em Praga, assim como em grande parte das cidades europeias durante a primavera e o verão, o sol se põe bem tarde, por volta das 21h. Vale a pena observar o fim do dia sobre o rio.

- As lojas entre a ponte de Carlos e a praça do bairro velho. Nas vielas que ligam a ponte à praça dá para comprar muitos souvenires. Mas pechinche bastante para encontrar o melhor preço, que muda bastante de uma loja para outra.

- A rua Paris. É a 5ª Avenida de Praga, onde estão as grandes butiques e grifes do mundo todo. Mesmo que não seja para comprar, já que os preços não são nada amistosos, a rua arborizada no bairro Velho é bem agradável para uma caminhada.

- Os bares que vendem cervejas de barril e tonel. Há muitos espalhados pela cidade e já na porta são dispostas placas com o tipo de cerveja servido naquele estabelecimento. Os checos são os maiores consumidores de cerveja no mundo, chegando a 165 litros por pessoa, por ano. Eles ganham até dos alemães e irlandeses.

Mais: Paris pela primeira vez

Pechinche bastante para encontrar o melhor preço nos souvenires - Foto: Carol Gregnanin

Pechinche bastante para encontrar o melhor preço nos souvenires – Foto: Carol Gregnanin

MOEDA

Na República Checa a moeda é a coroa. Em Praga, há lugares que aceitam o euro, mas a maioria só vende em coroas. Tenha sempre coroas no bolso e, se não tiver, procure trocar o euro nas casas de câmbio do bairro Velho, que são as mais honestas. Atualmente, um euro equivale a 25 coroas.

IDIOMA

A língua falada em Praga é a checa, mas praticamente todos na cidade falam também inglês e alemão. Mapas da cidade entregues no aeroporto e em pontos turísticos da cidade podem ser encontrados em inglês

TRANSPORTES

É fácil se locomover. Há ônibus, os tradicionais trólebus, que circulam por toda a cidade, e três linhas de metrô, que ligam as quatro regiões (Norte, Sul, Leste e Oeste). Para utilizar o transporte público basta adquirir um tíquete e validar com o tempo que vai usar. O mínimo é de uma hora e meia e durante esse período é possível usar qualquer um dos meios de transporte públicos da cidade.

Os táxis são um problema em Praga. A maioria tenta tirar proveito de turistas, o que fez o governo criar pontos de preços justos pela cidade. Eles, no entanto, estão em poucos lugares, e é recomendado então procurar nas ruas pelos carros amarelos com os símbolos AAA ou 111.

Mais: Um passeio pela fábrica da primeira cerveja pilsen do mundo

CURIOSIDADES

- Não há um museu que concentre obras de arte de diferentes movimentos ou épocas na cidade. Há um museu, por exemplo, para artistas contemporâneos, outro para cubistas e por aí vai. Como os turistas sempre buscam por esse tipo de entretenimento, existe o projeto de criar um único museu para expor variadas obras.

- Em 2011, 7 milhões de turistas visitaram Praga. Pela ordem, a maior fluência foi de alemães, ingleses, franceses, espanhóis, italianos e norte-americanos. Os latino-americanos ainda são extrema minoria na cidade.

Em 2011, 7 milhões de turistas visitaram Praga - Foto: Getty Images

Em 2011, 7 milhões de turistas visitaram Praga – Foto: Getty Images

- Os checos não têm mar, por isso passam suas férias nas praias da Croácia. A mais próxima fica a 10 horas de viagem. E quem não tem carro ou dinheiro para mudar de país, segue o rio Moldava até o Sul, onde ele é represado e possibilita a recreação.

- Todo checo tem um cachorro. Dizem que se alguém se mudar para o país e quiser ser inserido rapidamente naquela sociedade, basta comprar um ou dois cachorros.

- Toda obra pública realizada em Praga demora muito mais tempo do que o previsto. Os habitantes estão acostumados a não aceitar os prazos iniciais porque, por causa da guerra, a cada escavação são encontradas ossadas e então a obra é paralisada até que arqueólogos investiguem o local.

- Um dos maiores hobbies de quem mora em Praga é caçar fungos, cogumelos. Estima-se que quase 90% dos checos realizam esse tipo de atividade aos finais de semana ou sempre que podem. Eles usam os cogumelos em pratos típicos da culinária.

- Os esportes fortes do país são hóquei no gelo e futebol. Em Praga há um estádio para cada uma destas modalidades. Os checos, porém, não são tão fanáticos por um deles apenas. Torcem para o que estiver competindo naquele momento.

* A jornalista viajou a convite da Lufthansa e Secretaria de Turismo de Praga

Leia também:
- Um tour gótico pela Itália 
- Os pontos históricos de Londres a partir do metrô

Escolha seu próximo destino

Notícias Relacionadas


iG Viagens no Facebook

Comentários (0)

Antes de escrever seu comentário, lembre-se:o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *