ver novamente

Viaje de carro entre as serras da Mantiqueira e Bocaina

Roteiro que vai de Monte Verde (MG) a Visconde de Mauá (RJ) reserva aventuras e muito romance

Natália Zonta , especial para o iG |

Localiza-se nas principais cidades das serras da Bocaina e Mantiqueira – Arte iG

O caminho pela Serra da Mantiqueira, que vai de Monte Verde (MG) até Visconde de Mauá (RJ), passando também por São Paulo, pode inspirar dois tipos de viajantes: os românticos e os aventureiros. A rota – ideal para ser percorrida no inverno, se você estiver acompanhado, e no verão, se a ideia é caminhar pelas montanhas – guarda hotéis charmosos e muitas atrações cheias de adrenalina. Entre um passeio e outro, quem escolher o percurso ainda poderá saborear os pratos típicos dessa região, como trutas, pinhão e toda a sorte de doces caseiros.

A vila que serve como ponto de partida é a pequenina Monte Verde , distrito de Camanducaia (MG), a cerca de 160 km de São Paulo e a 500 km de Belo Horizonte, e pode ser mais bem aproveitada em programas feitos a dois. Por lá, praticamente todas as pousadas têm clima romântico e algumas nem sequer aceitam crianças. Por isso, se a viagem for feita em família, é recomendável escolher com cuidado a hospedagem.

Mas quem quiser se aventurar também terá opções: entre as atrações mais radicais está a Megatirolesa . (Estr. Camanducaia-Monte Verde, s/n. Km 24, tel: (35) 8848-200; R$ 55 por pessoa ), que percorre 450 m em até 50 km/h. Ainda há outros passeios oferecidos pelos hotéis e operadoras locais, como trekkings e aventuras sobre um quadriciclo. À noite, todos encontram-se na avenida principal, a Monte Verde, que concentra bares, lojas e restaurantes.

 

 

 

 

 

 

 

A viagem pela Mantiqueira continua por Gonçalves , ainda em Minas Gerais, perfeita para quem quer fugir da badalação. Menos conhecida do que suas vizinhas, também tem natureza exuberante. A cidade tem uma das melhores vistas da área e de lá se pode avistar o imenso manto verde que cobre a região. Vale uma pausa para se refrescar ou contemplar as cachoeiras da região.

Para continuar nesse clima de natureza, siga a rota por Santo Antônio do Pinhal , já em São Paulo, igualmente verde e charmosa. Até quem está sem preparo físico poderá caminhar um pouco por lá. Para isso, visite o Jardim dos Pinhais Ecco Parque ( Rodovia SP-046, 2.600, tel: (12) 3666-2021, bairro Sítio Rio das Pedras ). A visita aos jardins custa R$ 30 por casal ou R$ 18 para apenas uma pessoa. A caminhada de duas horas pela montanha precisa de agendamento prévio. Também é possível fazer o circuito de arvorismo de 10 etapas por R$ 50.

PAUSA NA AGITADA CAMPOS DO JORDÃO

O portal de Campos do Jordão destaca a arquitetura típica – Foto: Sergio Biagioni

Quer mais badalação? Então não deixe de parar em Campos do Jordão . O bairro de Capivari, centrinho turístico da cidade conhecido por suas construções em estilo alpino, é agitado o ano inteiro. No inverno, no entanto, a cidade fica ainda mais vibrante. Durante a estação, Campos recebe o Festival de Inverno (neste ano ele ocorre até 29 de julho) de música clássica, além de baladas e eventos temporários. A estação também eleva os preços na cidade, e as diárias nos hotéis podem ultrapassar R$ 1 mil.

Veja mais:
Sofisticação em Campos do Jordão

Aproveite a parada para comprar bons chocolates caseiros. Uma das marcas da região é a Montanhês ( Praça São Benedito, 5, Campos do Jordão, tel: (12) 3663 1979; 100g por R$ 18 ).

Os caminhos da Mantiqueira também vão levar a Cunha (SP), cidade conhecida pela cerâmica e pelo número de Fuscas que circulam por suas ladeiras. Ali, conheça o Parque Estadual da Serra do Mar – Núcleo Cunha-Indaiá, a 30 km da cidade( acesso pelo km 56,2 da SP-171 p/ Parati, tel: (12) 3111-2353. Entrada a gratuita ).

Por lá é possível fazer três trilhas, mas apenas uma delas dispensa o acompanhamento de um guia. As saídas para as caminhadas ocorrem aos sábados (trilha do Rio Bonito) e aos domingos (trilha das Cachoeiras), às 11h, e é preciso fazer agendamento prévio. As duas duram 3h30, em média.

DESCUBRA A SERRA DA BOCAINA

São José do Barreiro vista da Serra da Bocaina – Foto: Divulgação

São José do Barreiro , porta de entrada do Parque Nacional da Serra da Bocaina ( tel: (12) 3117-1225; Entrada gratuita. ), é a próxima opção de parada. Para chegar até a reserva é preciso pegar carona em um 4×4, disponível nas agências de viagem na cidade. A MW Trekking ( tel: (12) 3117-1220 ) tem pacote de um dia, que leva os turistas até os principais pontos do parque, como a cachoeira de Santo Izidro. O passeio dura o dia todo custa R$ 100 por pessoa, com almoço.

Os mais animados podem fazer a Trilha do Ouro, caminho que foi usado no século 18 para levar o ouro de Minas Gerais até Angra dos Reis, no Rio. O percurso deve ser planejado e feito com acompanhamento: são 53 km de trilha, que levam três dias para serem vencidos. Os valores são sob consulta.

A vizinha Bananal também pode servir de base para se conhecer a Serra da Bocaina. Vale a parada pelo casario histórico.

Veja mais:
- 11 dicas para uma viagem de carro perfeita

Para continuar no clima de aventura, passe em Itatiaia , já no Rio de Janeiro, onde está o Parque Nacional do Itatiaia ( Estrada Parque Nacional, km 8, tel: (24) 3352-1292/6894; Entrada a R$ 11 por pessoa ). Dividida em parte alta e baixa, a reserva ecológica reúne trilhas de diferentes níveis. As mais conhecidas estão na área mais elevada e levam ao Pico das Agulhas Negras e ao Pico das Prateleiras. Para ambos os percursos é necessário certo preparo e acompanhamento de guia (o parque possui um cadastro com os guias autorizados, basta ligar no local e pedir uma indicação). Evite as caminhadas no frio, quando o risco de neblina é maior.

Quem busca um local com mais opções de hotéis e restaurantes deve seguir para Penedo , distrito de Itatiaia. Marcado pela história dos imigrantes finlandeses, tem como uma das atrações mais conhecidas o minishopping Pequena Finlândia, com construções típicas. Ali, além de lojas, está a Casa do Papai Noel de Penedo ( Rua das Velas, 100, Penedo, tel: (24) 3351-2002. Ingresso: R$ 7 por pessoa. Fecha às quartas-feiras ), decorada com móveis típicos e temas natalinos.

Mais:
- Vai viajar sem pacote? Saiba como organizar sua hospedagem

Vista de uma sacada na Pousada Mauá Brasil, em Visconde de Mauá – Foto: Divulgação

Para terminar a rota em grande estilo, siga para Visconde de Mauá (RJ), distrito de Resende com boas opções de restaurantes e pousadas. Aproveite também para fazer as últimas comprinhas. O quitute típico de lá é o bolo húngaro, que leva nozes, castanha-do-pará, passas e canela. Um dos locais onde é vendido é na Pousada do Bolo Húngaro. Por lá, o doce custa a partir de R$ 15. ( R. Perciliana, 32, tel: (24) 3387-1132 ).

As cachoeiras da região (formada por Visconde de Mauá, Maromba e Maringá), também são boas opções. Uma das mais conhecidas é a cachoeira do Escorrega, a 3 km da vila Maromba. Para chegar até ela é preciso fazer uma trilha de 1.400 m, sinalizada e de nível fácil.

 

 

 

 

 

 

Veja também:
- Onde ficar
- Onde comer
- Vale a pena parar
- Prepare-se para a viagem

(*) Valores apurados em julho/2012

Leia também:
- Está aberta a temporada de inverno em Campos do Jordão
- Concurso Gastronômico de Visconde de Mauá completa 20 anos
- Inverno em Gonçalves

 

 

Escolha seu próximo destino

Notícias Relacionadas


iG Viagens no Facebook

Comentários (0)

Antes de escrever seu comentário, lembre-se:o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *